Horário de Atendimento: Segunda à Sexta das 8h às 19h e Sábados das 8h às 12h

Setembro amarelo: como ajudar quem precisa de apoio psicológico?

Setembro amarelo: como ajudar quem precisa de apoio psicológico?
03 Set

Setembro amarelo: como ajudar quem precisa de apoio psicológico?

Recentemente, conversamos aqui, no blog da MedSim, sobre saúde mental e isolamento social, quais os sintomas e como podemos ajudar a tratar esses sinais. Reforçamos que o correto sempre será o tratamento psicológico e psiquiátrico. Agora, o apoio das pessoas ao redor do paciente (familiares e amigos), faz o processo de melhora ser mais fácil.

Por isso, estamos aqui, para explicar como identificar intenções de indivíduos próximos que indiquem a dor psicológica e quais ações você pode tomar para ajudar essa pessoa a buscar o tratamento correto para sua situação!

Como identificar a dor psicológica de alguém próximo?

Normalmente, pessoas que estão com problemas psicológicos não falam abertamente sobre o assunto, mas demonstram de forma indireta que algumas coisas não estão indo bem. São atitudes, falas específicas que mostram que o indivíduo não está bem psicologicamente, apesar de não aparentar.

Vamos entender mais sobre alguns comportamentos que são indícios de maior atenção:

Desapego ao futuro

A falta de perspectiva em relação ao futuro pode demonstrar desapego ou falta de vontade de estar presente, evoluir na vida profissional e até mesmo na procura de relações interpessoais.

Falas que indiquem o desejo de afastamento

Falas como “vocês estariam melhor sem mim” ou “eu não sou útil a ninguém” demonstram que a pessoa tem uma visão pessimista e distorcida da realidade, invés de ver que as pessoas ao redor dela a querem próxima.

Mudanças radicais de humor

O emocional das pessoas tende a uma linearidade, com dias em que estamos nos sentindo bem e outros, nem tanto. Agora, quando se trata de um problema psicológico, as mudanças são mais bruscas e aparentes. Por exemplo, em um momento do dia a pessoa está alegre e determinada, logo em seguidaela está desanimada e triste.

Desapego e redução de interações

Atender menos telefonemas e evitar responder mensagens, assim como se mostrar evasivo para se relacionar com outras pessoas, além da perca de certos hábitos como passatempos (esportes, cursos, academia) e até o término de relacionamentos sem motivos aparentes são sinais de que a pessoa tem dificuldades de se comunicar e buscar ajuda.

Atitudes arriscadas e destrutivas

A dor psicológica leva quem está sofrendo a tomar atitudes imprudentes e, inclusive, arriscadas, afinal, o que a pessoa sente falta, ela esconde com um excesso. Brigas, direção perigosa, vícios e até mesmo atitudes inusitadas como pedir demissão do emprego, são indícios que a pessoa se sente incapaz e com dificuldade em lidar com os fatos e problemas do cotidiano.

Como ajudar?

Os tratamentos psiquiátrico e psicológico são essenciais para que o paciente tenha melhorias significativas. Ainda mais, é importante que o indivíduo tenha o apoio de amigos e familiares. Por isso, incentive essa pessoa a buscar o tratamento ou estimular a continuidade dele caso ela já esteja fazendo.

Confira, a seguir, algumas formas de prestar apoio:

Faça ela se sentir incluída.

Convide e encoraje essa pessoa a fazer parte de um ciclo de amigos seus que ele não conheça ainda, assim, ele passa a fazer parte de algo a mais. Exemplos são grupos que realizam a prática esportiva nos finais de semana ou um grupo de debate e estudos, logo o paciente começa a ter o sentimento de pertencimento e acolhimento.

Tome pequenas atitudes que fortaleça o seu elo de amizade.

Com o isolamento social, o contato direto e presente está dificultado, mas existem alternativas. Convide a pessoa para uma videochamada, proponha uma atividade diferente como assistir a um filme simultaneamente e comentarem, ou até mesmo peçam um delivery de comida do mesmo restaurante e jantem juntos, dando uma sensação de proximidade.

Existem atitudes menores ainda, como mandar um meme que te lembre daquela pessoa, um áudio no fim do dia perguntando como foi o dia dela. O importante é se mostrar presente e que ela é lembrada!

Pratique a escuta ativa.

Escuta ativa é a prática de conversar com a pessoa com o intuito de ouvir sobre os problemas dela, sem julgamentos ou preconceitos e sim com empatia e respeito. A ideia é, principalmente, ouvir sobre o que a pessoa está passando. Existem certas perguntas e pontuações que você pode fazer ao longo da escuta.

Vamos por passos:

Faça perguntas abertas – pergunte como ela está se sentindo, o que tem feito. Perguntas assim ajudam a ela começar a se sentir mais confortável a falar sobre o que está acontecendo.

Certifique-se de que você está acompanhando o que ela fala – De tempos em tempos, recapitule e resuma (novamente, sem julgamentos) o que ela falou, mostrando que ela está sendo ouvida e, ao mesmo tempo, que a pessoa se escute de certa forma.

Evite deixar dúvidas – Quando ela terminar de falar, retome algum tópico que não tenha ficado claro, se necessário. Tente se aprofundar, respeitando os limites da pessoa, é claro.

Incentive a busca por tratamento profissional

Reiteramos a importância do tratamento profissional, tanto psicológico como psiquiátrico. O acompanhamento desses profissionais auxilia no desenvolvimento das habilidades emocionais. Assim, o paciente consegue administrar seus sentimentos mais facilidade e, mesmo que lento, consiga recuperar-se gradualmente.

A MedSim conta com profissionais qualificados para lhe atender, diagnosticar e realizar o acompanhamento psicológico. Você pode agendar a sua consulta clicando aqui.

Em emergências, acione o CVV

Se você está passando por uma crise momentânea ou sentindo angústias psicológicas muito fortes, você pode acionar o Centro de Valorização à Vida (CVV), ligando no número 144. A ligação é gratuita e o atendimento é 24 horas.

Novamente, a busca por tratamento profissional é a melhor forma de cuidar. Por isso, se você está passando por dificuldades na sua vida e sente que não está conseguindo lidar com tudo isso, calma. Você não está sozinho. Busque ajuda, busque profissionais para lhe ajudar. Agende sua consulta por WhatsApp aqui.

Esperamos que esse artigo tenha lhe ajudado! Para mais conteúdos e novidades da MedSim, siga-nos nas redes sociais – Facebook e Instagram!


Voltar para a Listagem