Horário de Atendimento: Segunda à Sexta das 8h às 19h e Sábados das 8h às 12h

Cuidados com a primavera e o pólen

Cuidados com a primavera e o pólen
15 Out

Cuidados com a primavera e o pólen

Chegada a estação do florescer, é muito comum os clássicos problemas alérgicos de pólen, como a rinite, atacam com força total. Além das vias nasais, a pele também pode sofrer com a primavera. Vejamos.

A rinite

O problema mais comum com o pólen, a rinite afeta, principalmente, nossos olhos, nariz e garganta. Dependendo do grau de alergia, pode afetar a pele. Contudo, é bem tratável e até mesmo evitável dentro de casa. Ao estar na rua, o assunto é complicado.

A começar pelo problema em si, a reação alérgica afeta aéreas do corpo com o simples contato. No nariz, é bem comum escorrer o muco bem líquido, diferente da gripe, e, assim, afetando o restante dos canais e, assim, chegando à garganta. Nessa, é bem comum a irritação, a tosse e o pigarro, mas em graus altos da alergia deve ter muito cuidado para que não tranque e acarrete a respiração.

Quando se trata dos olhos, o mais comum é a vermelhidão e lacrimejar bastante. Lavar com água gelada pode aliviar bastante os sintomas (usar óculos de sol ao sair de casa também). De qualquer forma, ainda sim, a rinite pode causar irritações na pele. Não é contagioso a ninguém. O recomendado em qualquer caso é uma consulta em um clínico geral e avaliar a necessidade de um antialérgico ou semelhante.

Dermatite Atópica

Um dos tipos mais comuns de alergia cutânea, é genética e crônica. Os sintomas são a pele seca, erupções que causam coceira e crostas. Não é contagiosa e não só é causada por reação alérgica ao pólen. Ácaros, animais, mofo, contato com materiais ásperos, tecidos irritantes e outros podem ser causadores, por isso, cuidado!

O maior problema, a coceira é o preocupante. Pois, ao coçar, gera mais irritação na pele, feridas e, quando expostas, podem causar uma infecção bacteriana. Portanto, um dermatologista deve ser consultado o quanto antes para determinar qual método vai ser utilizado para tratar a pele.

Em ambos casos citados acima, há cuidados importantes que você pode adotar na sua casa, afinal, não adianta utilizar o remédio ou tratamento recitado em um ambiente que pode estar infestado do pólen! Se liga nas dicas:

1 – Evite ficar em casa com as roupas que você usou na rua. Elas podem carregar bastante pólen;

2 – Em caso de reações alérgicas já presentes, evite banhos quentes, eles ressecam a pele. Duchas frias ou mornas são o ideal;

3 – Caso tenha animais, eles também podem ter pólen no pelo, portanto, não os deixe transitar em todos os cômodos da casa, deixe-o só na sala e corredor, por exemplo.

Demais tratamentos e medicamentos devem ser adotados apenas com um médico acompanhando. Contate seu dermatologista e a automedicação não é proibida. Gostou do conteúdo? Acesse nossas redes sociais para ficar por dentro de muito mais! Quer agendar a sua consulta com uma dermatologista já e cuidar desses problemas com o pólen? Entre em contato conosco pelo WhatsApp.


Voltar para a Listagem